Home » Estudos

Auto Estima

27 Fevereiro 2011

Auto Estima

Uma abordagem sobre Auto Estima

TEXTO: 1Sm 22.1-2

Entre a caverna e o palácio real onde Davi viveu há fortes contrastes. No palácio, Davi foi comandante dos soldados do rei Saul (1Sm 18.5); tinha os melhores soldados de Israel dispostos a combater e lutar até à morte. Na caverna, inicialmente Davi esteve só, posteriormente se ajuntaram a ele os piores homens daquela região. As qualidades daqueles homens eram: “homens que se achavam em aperto; homens endividados; homens de espírito amargurado”. No palácio Davi tinha soldados, mas naquela caverna ele tinha um bando homens.

Para Davi, não importava quem eram àqueles homens, quais suas qualificações, quais seus erros, qual passado possuíam; ele acreditava que era possível uma transformação na vida deles. Quando Davi chegou naquele lugar a própria caverna foi transformada. Ao invés de lugar de refúgio (22.1), dos refugiados, dos revoltados e desprezados, foi transformada em lugar forte (22.4; 1Cr 11.15.16), pois havia um mais forte com Davi (1Sm 18.12).

1) RECUPERANDO A AUTO-ESTIMA

Certamente Davi teve um trabalho árduo para ver proporcionado mudança naqueles homens. Devido às condições daquele bando, houve a necessidade de resgatar a auto-estima deles, pois eram pessoas que se viam derrotadas, e desamparadas. Não encontramos a palavra “auto-estima” na Bíblia, todavia encontramos seus princípios gerais.

1.1 O QUE É AUTO-ESTIMA? esta expressão é usada para designar o sentimento de importância, o senso de valor e significado que temos e damos a nós mesmos. Todavia, é fundamentar destacarmos seu conceito cientifico e seu conceito aplicado à fé. Vejamos:

Cientificamente: Para a Psicologia, a auto-estima, ou o “auto-respeito positivo”, refere-se ao valor e qualidades que atribuímos a nós mesmos, ao conceito que temos sobre nossas limitações e potencialidades. “É a disposição para se perceber como uma pessoa competente que sabe lidar com as dificuldades básicas da vida”.  É a confiança no próprio potencial, a certeza da capacidade de enfrentar os desafios da vida, as situações novas.

Biblicamente; Aplicando estes conceitos à fé cristã podemos afirmar que “auto-estima é confiar que somos capazes de enfrentar as circunstâncias desconhecidas, e às vezes adversas, pela capacidade e potencial que Deus nos concede”. Isto não significa nos julgamos imbatíveis, ou que nunca iremos sofrer uma derrota, mas é estar de cabeça erguida, confiando que somos alimentados e sustentados pela fé, pois é pela fé que estamos de pé. E mesmo quando os resultados são diferentes do esperado, continuamos lutando e confiando no potencial que Deus nos deu.

A BÍBLIA E A AUTO-ESTIMA:

à  O próprio JESUS preparou seus discípulos para enfrentar os desafios da vida: “… no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” (Jo. 16.33).

à  O Apóstolo PAULO fala sobre isso quando diz: “em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados; perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos;” (2Co 48-9); mais adiante complementa: “Posso todas as coisas naquele que me fortalece” (Fl 4.13).

à  O apóstolo JOÂO adverte os Jovens afirmando: “Eu vos escrevi jovens porque sois fortes, e a Palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno” (1Jo 2.14).

1.2 POR QUE A AUTO-ESTIMA É IMPORTANTE? A Auto-estima tem ligação direta com o autocontrole, domínio próprio. Exerce papel essencial sobre nosso equilíbrio emocional e sobre nossa saúde. E isto conduz a uma conclusão: a auto-estima pode ser alta ou baixa, e qualquer uma das duas é auto-estima.

Cada pessoa pensa e se comporta da maneira própria e que corresponde à imagem que faz de si mesma. Vejamos algumas diferenças:

As pessoas com baixa auto-estima geralmente: culpam os outros pelos seus erros,  acham que qualquer conversa é um “confronto”, precisam “ganhar” as discussões, são muito preocupadas com “o que os outros vão pensar”,     dependem da imagem que os outros têm delas. Pessoas com baixa auto-estima posicionam em um de dois entremos:

1º. RETRAIMENTO: pessoas retraídas sentem-se incapazes de enfrentar os simples problemas e desafios do dia a dia. Julgam-se inferiores às demais pessoas, são repletas de complexo de inferioridade, se acham mais feias, sempre observam seu corpo e acham defeitos, deformidades, etc, acham que nasceram para sofrer, essa é a sina, o destino delas. Conseqüentemente, o mecanismo que usam é o da fuga, do isolamento. A Bíblia nos fornece exemplos sobre esse tipo de comportamento.

POR QUE A AUTO-ESTIMA É IMPORTANTE? A Auto-estima tem ligação direta com o autocontrole, domínio próprio. Exerce papel essencial sobre nosso equilíbrio emocional e sobre nossa saúde. A auto-estima pode ser alta ou baixa, e qualquer uma das duas é auto-estima.

Cada pessoa pensa e se comporta da maneira própria e que corresponde à imagem que faz de si mesma. Vejamos algumas diferenças:

As pessoas com baixa auto-estima geralmente: culpam os outros pelos seus erros,  acham que qualquer conversa é um “confronto”, precisam “ganhar” as discussões, são muito preocupadas com “o que os outros vão pensar”.

As pessoas com baixa auto-estima dependem da imagem que os outros têm delas. Posicionam-se em um de dois entremos:

1º. RETRAIMENTO: pessoas retraídas sentem-se incapazes de enfrentar os simples problemas e desafios do dia a dia. Julgam-se inferiores às demais pessoas, são repletas de complexo de inferioridade, se acham mais feias, sempre observam seu corpo e acham defeitos, deformidades, etc, acham que nasceram para sofrer, essa é a sina o destino delas. Conseqüentemente, o mecanismo que usam é o da fuga, do isolamento. A Bíblia nos fornece exemplos sobre esse tipo de comportamento:

Moisés – Desde o início relutou ao chamado de Deus se julgando incapaz; Ex 3.11 “…. Quem sou eu, que vá a Faraó e tire do Egito os filhos de Israel?” Ex 4.10 “…eu não sou homem eloqüente… sou pesado de boca e de língua.” > Gideão – Queixou-se com o anjo que falava com ele sobre seu sofrimento (Jz 6.13) “ porque nos sobreveio tudo isso…” ; sobre a pobreza de sua família (6.15) “a minha família é a mais pobre em Manasses…” . > Elias – Fugindo das ameaças de Jezabel, pediu a Deus que tirasse sua vida (1Rs 19.4) “…e pediu em seu animo a morte e disse: já basta, ó Senhor, toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais”.

E como é fácil para as pessoas caírem nas armadilhas do “eu não valho nada!” Se não possuo o corpo perfeito, se não sou tão inteligente como fulano, se os resultados que obtive não correspondem ao desejado, então eu não sou digno de coisa alguma! Quando a auto-estima é baixa, o crescimento fica estagnado, a coragem diante da vida diminui, desistimos até de arriscar coisas novas, de sonhar. Por isso, diz-se que a auto-estima é um valor de sobrevivência. Alguns autores definem a auto-estima como o sistema imunológico da mente e do espírito.

2º. AUTO-AFIRMAÇÃO: um outro tipo de reação que acorre com pessoas com baixa auto-estima é a auto-afirmação. Produz gestos e atitudes extravagantes. Buscam afirmam sua presença onde então. Vale tudo, tom de voz alto, roupas extravagantes, chilique na frente das pessoas. Vejamos alguns exemplos na Bíblia:

Jezabel – quis ser notada quando o rei Jeú veio a Jerusalém (2Rs 9. 30) “… o que ouvindo Jezabel, se pintou em volta dos olhos, e enfeitou a sua cabeça e olhou pela janela”. > As Mulheres de Israel – Abandonaram a beleza que vem do Senhor (Sl 96.9) e deram lugar à vaidade para se auto-afirmarem no meio do povo (Is 3.16) “… as filhas de Sião se exaltam, e andam de pescoço erguido, e têm olhares impudentes, e, quando andam, como que vão dançando, fazendo tinir os ornamentos de seus pés”. > Escribas e fariseus – Nos dias do ministério terreno de Jesus, os escribas e fariseu foram duramente criticados pelo Mestre devido sua atitude de auto-afirmação no meio do povo (Mt 23.5-7) “…trazem largos filactérios, e alargam as franjas dos seus vestidos, amam os primeiros lugares nas ceias… amam as saudações nas praças e o serem chamados mestres pelos homens”. Seguiam radicalmente uma religião cheia de ritos e símbolos, porém, vazia de conteúdo.

Já as pessoas com elevada auto-estima geralmente: assumem a responsabilidade por suas ações, são afirmativas sem agressividade,  são objetivas em suas opiniões, não se preocupam em demasia com o que os outros pensam delas, aceitam-se pelo que são.

O modo de vida atual exige que vivamos correndo. As exigências dos atuais padrões de bem-estar acabam distorcendo a percepção da nossa própria existência. A auto-estima existe para ajudar a pessoa a se manter com seu caráter e sua personalidade definida. Em outras palavras, quando a pessoa está bem consigo mesma, tudo vai bem, sua auto-estima está alta; quando sua vida emocional está em conflito, sua auto-estima, conseqüentemente, está em baixa.

COMO CONSEGUIR A AUTO-ESTIMA? Desde que nascemos, fatores inconscientes formam a nossa auto-estima. Geralmente não temos consciência de nossos pontos fortes e de nossas fragilidades e, por isso, não podemos superar nossos limites.

Palavras que trabalham contra nós: “Fiz TUDO errado”; “Hoje não é o meu dia”; “Por que devo tentar se não valerá a pena?”; “Tenho uma péssima memória”;”Não sei o que está errado comigo hoje”; “Eu tentei, mas não consigo!”; “Não sou capaz de fazer isto”; “Todas as vezes que tento falar com ele(a) discutimos”. Palavras como estas,  orientam nossas vidas e sensações. Elas impedem nossas ações, nos deixando magoados impedindo nosso progresso.

Que tal colocarmos as palavras para trabalharem a nosso favor? Assim: “Desse jeito não funcionou, mas sei que posso fazer de maneira diferente.”; “Estou sempre aprendendo algo novo”; “Hoje é um grande dia para mim, basta o fato de estar vivo!”; “Continuarei tentando, há uma boa chance de que  dará certo”;

A decisão da escolha das palavras que possam causar problemas e fracassos, ou palavras que nos dão confiança e segurança cabe a cada um de nós. Inúmeras são as frases e pensamentos (conscientes e inconscientes) que costumamos utilizar para programar nossa mente.

Eis alguns passos que conduzem a uma auto-estima positiva:

Deixe-se influenciar pelo que a Palavra de Deus diz que você é, e não pelo que as pessoas pensam ou dizem a seu respeito.

Busque identificar sua auto-imagem e como ela é formada: existem bases reais para os valores que tenho de mim mesmo ou, é produto de expectativas – próprias e de outros – infundadas?

Aceitação própria: qualidades e “defeitos”.

Perceba quantas qualidades você tem, que não costuma notar. você se sentirá muito bem e isso fará com que trate bem aos outros.

Como poderia alguém conseguir amar ao próximo quando não consegue amar a si mesmo? Como podemos conseguir fazer aos outros, o que gostaríamos que nos fizessem, se não aprendemos ainda a dar primeiro a nós mesmos?

ACREDITE E EXERCITE SEU POTENCIAL

Geralmente os complexos de inferioridade podem ser vistos como sinais de uma auto-estima baixa da pessoa. Assim, muitas pessoas se acham feias, incapazes de lutar, não se aceitam da forma que são. Algumas pessoas na Bíblia lidaram com esse problema. A Palavra de Deus resgata a auto-estima das pessoas, ressaltando a capacidade que homens e mulheres tem. Fomos criados a imagem e semelhança de Deus.

Que Deus te abençoe!

Pr. Lindomar A. Silva.



Escrito Por